+Natal RN - O Guia Comercial do Rio Grande do Norte
Vamos conhecer um pouco da nossa cidade?
Fonte/Reprodução: original

Ginga com tapioca: conheça essa iguaria da culinária natalense

Um dos pontos mais chamativos e atrativos da região Nordeste é a sua culinária. Assim como seu povo, existe uma grande miscigenação na origem da culinária nordestina, que recebeu influências dos povos Portugueses, Africanos e Indígenas.

A culinária Natalense ou Potiguar não fica atrás no quesito sabor e inovação. Um dos pratos mais famosos na região e que é muito consumida tanto pelos moradores locais, quanto por turistas, é a famosa ginga com tapioca. É corriqueiro nas praias os vendedores ambulantes passarem vendendo esse prato típico e muito querido em Natal.

A ginga com tapioca consiste em um prato formado por uma tapioca, que também é um prato típico nordestino, recheada com a ginga, que é um pequeno peixe de água doce, que é assado na brasa ou na grelha, ou também pode ser frito no óleo de dendê e vai na tapioca.

Você sabe o que é uma Ginga?

Ginga é como é conhecido regionalmente o peixe da espécie Manjuba, ou também Manjubinha. Sua aparência lembra muito a piaba e é muito consumida na região litorânea em volta do Brasil.

Você sabe o que é uma Ginga
Fonte/Reprodução: original

Esse peixe possui por volta de 15 centímetros de comprimento e para ser servido, para ficar ainda mais saboroso para ser servido na tapioca, com o passar do tempo começaram a fritá-lo no óleo de dendê, que o deixa bem crocante e saboroso.

Qual origem da Ginga com Tapioca?

A ginga com tapioca tem origem indígena, mas não se sabe ao certo qual tribo criou a iguaria. Foi adotada a culinária dos pescadores da região, principalmente os da Praia da Redinha, e desde então é um prato muito cativado pelo Natalense.

Deve-se ter cuidado na degustação, para não cometer exageros e passar da conta, pois, apesar do sabor é um prato rico em proteínas e carboidratos e pode chegar a 600 calorias por porção.

Onde comer Ginga com Tapioca em Natal RN?

Na maioria das praias de Natal, é possível encontrar vendedores ambulantes vendendo a famosa ginga com tapioca, apesar disso, muita gente prefere ter a experiência completa do local mais famoso e procurado ao se tratar desse prato.

O Mercado Público da Redinha e a Praia da Redinha são os pontos mais famosos por oferecerem tão bem esse prato. Muitos dos boxes encontrados no Mercado Público vêm de gerações e gerações familiares de pescadores que são especialistas na pesca e na venda da iguaria.

Como fazer a ginga com tapioca?

É uma receita bastante simples de se fazer e também muito rápida. Você só precisa da massa para fazer a tapioca, a ginga e o óleo de dendê.

  • Para fazer a tapioca: só colocar a massa em uma frigideira quente e sem nada, espalhar por toda a panela, aos poucos a massa vai grudar e ficar firme, e deve ser virada para realizar o mesmo processo do outro lado.
  • Para fazer a ginga: ela deve ser bem lavada primeiramente. Depois deve ser colocado em uma panela óleo ou azeite de dendê e esperar esquentar bastante, no qual em poucos minutos a ginga vai estar frita e bem crocante, pronta para ser colocada na tapioca. 4 ou 5 unidades da ginga são suficientes para rechear a tapioca.

Quanto mais quente, mais saborosa fica essa iguaria. Principalmente porque a tapioca depois de fria, fica com uma consistência mais difícil de fazer a mastigação e pode afetar o sabor geral do prato.

É verdade que a Ginga com Tapioca é um patrimônio imaterial de Natal RN?

Em 2019, no Rio Grande do Norte, foi considerada por lei, aprovada pela então governadora do estado, Fátima Bezerra, como Patrimônio Cultural Imaterial do estado, a ginga com tapioca. A UNESCO já adota esse título desde o ano de 2003.

Além da pesca, a venda de ginga com tapioca é uma das fontes que compõem a renda dos pescadores da região, que além de disseminar essa cultura e costume para as gerações seguintes para suas famílias, espalham também pelas praias o sabor e sucesso que é esse prato. Se você viajar até Natal, é uma experiência que vale a pena ser vivida.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.