Tudo sobre a literatura de Cordel no Rio Grande do Norte

0 1.679

A literatura de Cordel no Rio Grande do Norte se destaca por sua poesia, contos, romances e versos. Saber mais sobre a literatura potiguar é entrar em um mundo cultural que faz parte da história e pode marcar de forma maravilhosa nosso olhar sobre a sociedade.

Vamos te ajudar a ver como a literatura de cordel no Rio Grande do Norte surgiu e alguns dos nomes mais famosos que vão te fazer amar conhecer cada vez mais sobre isso. Vamos lá?

Quando surgiu a literatura de Cordel no Rio Grande do Norte?

Com origem portuguesa, o Cordel foi introduzido no Brasil no final do século 18 e tinha como principal objetivo ser uma manifestação artística informativa, mas com um caráter mais leve e divertido, tanto em sua forma oral, quanto escrita.

Quando surgiu a literatura de Cordel no Rio Grande do Norte
Fonte/Reprodução: original

A literatura de Cordel no Rio Grande do Norte tem registros do início do século 20, marcados por um dos grandes poetas da região, Fabião das Queimadas.

O que é a literatura de Cordel?

Posts Relacionados
1 De 112

O que a literatura de cordel buscou trazer em seus versos, revolucionou a cultura de uma forma muito única, pois para além de seu caráter de oposição à literatura tradicional, que na época era mais divulgada em livros, ela marcou a tradição literária regional com suas próprias características, principalmente em forma de folhetos, que vamos mostrar a seguir:

CARACTERÍSTICAS

  • Representatividade em versos
  • Oposição à literatura tradicional
  • Temas populares da cultura brasileira (seja política, religião, realidade social dentre outros).

Todas essas características em conjunto à regionalidade na qual ela se desenvolvia, distinguiu essa literatura de forma muito particular à localidade e à cultura. Em relação ao seu conteúdo, especificamente, ela também tem suas características próprias:

  • Linguagem oral e regional
  • Linguagem coloquial
  • Uso de humor, sarcasmo e ironia
  • Rimas e Métrica

Dentro dessas características são desenvolvidas as estrofes, geralmente com seis versos nos quais sete a oito sílabas são dispostas, criando as rimas.

A CASA DO CORDEL

Enquanto espaço cultural e situado em Natal, a casa do Cordel tem o propósito de ser um espaço de divulgação da literatura de Cordel no Rio Grande do Norte, além de outros artistas e obras populares.

O foco principal não é a venda, nem mesmo uma centralização e/ou focalização de determinada arte mas, sim, servir como espaço de encontro. A troca cultural entre os artistas, bem como a troca de informação, conhecimento e discussões é muito enriquecedora para todos os envolvidos.

A cultura é parte essencial da história humana e, espaços como este aproximam a literatura de cordel, que por si só já nos engrandece muito e, principalmente, fomentam a nossa própria formação pessoal, enquanto cidadãos, para questões sociais, culturais e, principalmente, históricas.

Os folhetos da literatura de Cordel no Rio Grande do Norte

Os folhetos nos quais as histórias são impressas são a marca registrada da literatura de Cordel, pois eles são postos nos cordéis, os quais dão o nome desse gênero literário.

Através deles, não apenas são postos os versos, como também as xilogravuras, que vamos explicar a seguir:

XILOGRAVURA

As imagens que são representadas nos cordéis, ou as xilogravuras, são parte primordial e características dessa literatura, pois, além de maravilhosamente bem feitas, tendem sempre a ser muito representativas e, por isso, também são marca registrada dessa forma de expressão.

Sereias, lobisomens, animais e casas, tudo isso é extremamente bem elaborado através dessa forma de arte e acaba enaltecendo ainda mais as histórias que dão base a elas.

Quais são os grandes nomes da literatura de cordel do Rio Grande do Norte?

Existem vários cordelistas na história da literatura de cordel no Rio Grande do Norte, a seguir, vamos te apresentar alguns deles que você pode encontrar obras bem interessantes para leitura:

  • Antonio Francisco
  • Chico Pequeno
  • Severino Ferreira
  • Chagas Ramalho

Para além desses cordelistas, existem bem mais artistas que podem e devem ser reconhecidos pelo seu trabalho espetacular na literatura de Cordel no Rio Grande do Norte. E mais importante do que esse primeiro contato, é despertar o interesse para conhecê-los cada vez mais.

É importante sempre lembrar que a literatura se compreende ainda melhor estando em contato direto com ela, então, a maior recomendação é a de lê-la e aproveitar tudo o que ela pode vir a oferecer de forma autêntica, através de suas histórias alegres, cômicas e emocionantes de cunho cultural.

Deixe um comentário