Natal tem um dos maiores aumentos na cesta básica em 2023!

0 253

O Natal de 2023 promete ser um dos mais caros dos últimos anos, com um dos maiores aumentos da cesta básica. Acompanhe aqui como isso pode impactar seu orçamento e descubra como se preparar para essa temporada.

Preço da Cesta Básica e Variação em 2023 por Cidade

CidadePreço da Cesta BásicaVariação em 2023
NatalR$ 622,166,47%
RecifeR$ 647,437,61%
João PessoaR$ 617,596,80%
AracajuR$ 631,186,57%
São PauloR$ 790,575,02%
Rio de JaneiroR$ 770,004,86%

Família natalense enfrenta um dos maiores aumentos na cesta básica em 2023

A família natalense enfrentou um dos maiores aumentos na cesta básica em 2023. Conforme o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o grupo de doze alimentos pesquisados pelo Dieese apresentou aumento de 6,47% em relação a dezembro de 2022, passando de R$ 584,36 para R$ 622,16.

Família natalense enfrenta um dos maiores aumentos na cesta básica em 2023
Alimentos mais caros. Fonte/Reprodução: original.

Em comparação com janeiro de 2022, o preço da cesta básica aumentou 12,90%.

Posts Relacionados
1 De 16

Os produtos mais caros e as maiores variações

O tomate foi o produto que apresentou a maior alta de preços: 50,64%. Doze quilos do produto passaram de R$ 65,64 para R$ 98,88. Já o feijão carioca apresentou a segunda maior variação: 6,38%. Em seguida vem o pão francês (3,74%), a manteiga (3,27%), a banana (2,91%), a farinha de mandioca (2,84%), a arroz agulhinha (1,72%) e café em pó (0,30%).

O preço médio dos demais produtos apresentou variação negativa: leite integral UHT (-6,15%), açúcar cristal (-2,47%), carne bovina de primeira (-1,19%) e óleo de soja (-0,50%).

Custo elevado e comprometimento salarial

No acumulado dos últimos 12 meses foram registradas elevações em todos os produtos da cesta. O trabalhador de Natal remunerado pelo salário mínimo de R$ 1.302,00 precisou trabalhar 105 horas e 08 minutos para adquirir a cesta básica. Considerando o salário mínimo líquido após o desconto da Previdência Social foi preciso comprometer 51,66% da remuneração para adquirir os produtos da cesta.

 

Deixe um comentário